Por conta do avanço dos casos de Covid-19 no país, o Ministério da Saúde cancelou as ações presenciais do “Janeiro Roxo”, permanecendo apenas as orientações virtuais e preventivas que já ocorrem ao longo de todo o ano.

Com a medida, a atividade de conscientização da hanseníase programada para o próximo dia 22 de janeiro, no Calçadão de Ubatuba foi suspensa, assim como a ação prevista para ocorrer no Centro de Especialidades Médicas.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Ubatuba, Alyne Ambrogi, as ações programadas para a prevenção da hanseníase serão retomadas quando o número de novos casos de Covid retroceder.

A campanha “Janeiro Roxo” alerta a população para a prevenção e tratamento da hanseníase, doença causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, com transmissão por via aérea, quando pacientes sem tratamento eliminam os bacilos por secreções nasais, gotículas da fala, tosse ou espirro. Manchas brancas ou avermelhadas com perda de sensibilidade, formigamento, fisgadas ou adormecimento de membros são alguns dos sintomas da hanseníase.

O diagnóstico e o tratamento precoce da hanseníase evitam transmissão, complicações e deficiências. Por isso, a orientação é procurar por um posto de saúde ao perceber, principalmente, manchas suspeitas pelo corpo. A doença que acomete a pele e os nervos tem cura e os medicamentos são distribuídos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O tempo de tratamento pode variar de 6 a 12 meses.

Compartilhe: