Há pouco mais de um mês, o LC28 trouxe uma matéria sobre o que foi chamado de “posto avançado da Comtur”, na rodovia Oswaldo Cruz, em frente à Polícia Rodoviária Estadual.

Naquela oportunidade, foi falado sobre a precariedade do espaço e da necessidade do cartão de visitas da Companhia, na entrada da cidade, ter o mínimo de condições para quem trabalha no local.

De lá para cá, diversas informações chegaram sobre a precariedade à qual os funcionários são sujeitados, ao atuarem ali.

Entre os fatos relatados, houve a informação de que, recentemente, uma funcionária, que foi deslocada para atuar ali, precisou pedir para usar o banheiro de um estabelecimento comercial próximo, em função do posto da Comtur não conter um banheiro para os funcionários e o do posto da polícia estar sem poder ser utilizado, naquele instante.

Hoje, nos chegaram essas fotos que demonstram a condição totalmente insalubre de trabalho dos funcionários que atuam ali, no controle da entrada de vans em Ubatuba.

Não é apenas uma questão de más condições de trabalho. De um contêiner sujo, velho, sem estrutura. Vai além disso, é também uma questão de segurança.

O posto está ali há anos, a Companhia de Turismo atua na cidade há décadas, o que torna os fatos ainda mais graves, pela falta de respeito com os profissionais que atuam naquele local.

O ex-presidente da Comtur, Edgar Clarindo da Silva, chegou a dizer que havia um projeto pronto para a substituição daquele espaço por um adequado. Logo após informar o portal sobre isso, Clarindo deixou a presidência da entidade.

Várias perguntas podem ser feitas a respeito desses fatos, e uma delas, talvez uma das mais importantes, seja: como um patrão pode permitir que seus funcionários trabalhem em condições tão precárias, e perigosas?

Compartilhe: