Coluna: É o fim da picada…
Por Alisson Kruger

O ano de 2020 finalmente acabou! Foi um ano atípico, tivemos uma pandemia de COVID-19 e uma epidemia de imbecilidade. Teve Governador fechando o Estado, prefeito soldando porta de comércio, fechando estradas e praias; teve a turma do “fica em casa”, aqueles que acreditam que a Amazônia está pegando fogo, jornalista preso…E o STF? Deitado eternamente em berço esplêndido.

Devemos comemorar o final do ano de 2020 não só por ser o ano que ficará marcado na história pela pandemia, mas para nós, moradores de Ubatuba, por finalmente ter acabado o mandato do pior prefeito da história da nossa cidade. Ele conseguiu, inclusive, superar o seu “mestre”.

Moro em Ubatuba há 33 anos, sempre fui interessado por política e tenho a seguinte opinião: nenhum prefeito que por aqui passou deixou um legado positivo para a cidade.

Qual ato de gestão dos últimos prefeitos pode ser exaltado e tido como exemplo? Nenhum!
Paralelamente ao início do ano de 2021, temos o encetamento de um novo mandato eletivo. A nova Prefeita e vereadores começarão a executar os projetos políticos pelos quais foram eleitos.

Em relação ao poder executivo, basta fazer o simples para ser um governo melhor do que o anterior; não adianta tentar reinventar a roda. Ações simples e amargas devem ser tomadas desde o início do mandato, sob pena da nova administração ser mais do mesmo.

Em relação aos vereadores, infelizmente o prognóstico não é bom, ainda mais para uma cidade que “respira por aparelhos”. Confesso torcer para que eu “pague com a língua” e que sejamos surpreendidos positivamente por algum dos novos vereadores (já que os reeleitos não têm nenhum interesse público). E o que nós cidadãos “comuns” devemos fazer? Devemos participar efetivamente da política local, não deixando que os maus políticos ocupem o espaço e façam aquilo que bem entendem em relação ao destino da nossa cidade.

O perfil político de uma cidade se mede pelo modo que seus eleitores votam. Por isso, conclamo a todos vocês a não se acomodarem, porque os problemas da cidade batem na porta de todos nós, privilegiados financeiramente ou não.

Devemos olhar para o passado para não repetir os erros, parece uma ação simples, mas, pelo que vemos, temos políticos que sofrem de astigmatismo. Obrigado e até a próxima.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do LC28

Alisson Kruger
Advogado, 42 anos, Ubatubano de coração. Entusiasta por acreditar que nossa cidade tem um potencial enorme e que depende apenas de nós, cidadãos, o dever de lutar para que nossa cidade finalmente debute.

Compartilhe: