[metaslider id=5139]

A terceira edição do Festival Paralímpico, acontece neste sábado (4) na praia do Perequê-Açu, em Ubatuba, a partir das 8h30.

Cerca de 100 crianças e adolescentes participarão do evento que será realizado na sede da escolinha municipal de surf.

O principal objetivo do evento, destinado a crianças e adolescentes de 8 a 17 anos, é reunir crianças com ou sem deficiência para trabalhar a inclusão.

A programação terá três modalidades por sede, e por Ubatuba ser uma cidade litorânea as atividades oferecidas serão: surf adaptado, canoas (caiçara e havaiana) e atletismo na praia.

Juan Ricardo, coordenador técnico do evento afirma, “Ubatuba tem um diferencial em relação às outras cidades que também sediam este evento, é a única que oferece atividades no mar proporcionando vivências inesquecíveis para cada participante. Os relatos dos participantes e dos familiares no evento de 2019 foram extremamente positivos”.

Segundo Fábio Siqueira Campana, coordenador logístico do evento, foram conquistados legados como acessibilidade no terminal turístico, escolinha de surf com horário específico para o surf adaptado, compra de equipamentos adaptados, estreitamento da parceria entre as secretarias de educação e esportes e lazer e o espaço exclusivo para a prática do tiro com arco adaptado”.

Fabio Lima, coordenador de surf da Secretaria de Esportes e Lazer, também destaca o fato do evento ser realizado com atividades no mar, como as canoas (caiçara e polinésia) e o surf, e diz que poucas cidades têm essa oportunidade.

O Festival é um evento nacional e promove a experimentação do Esporte Adaptado para cerca de 7.000 mil crianças e adolescentes, com faixa etária de 10 a 17 anos. A intenção é mobilizar pessoas com deficiência em todo território brasileiro por meio das vivências das atividades propostas.

A primeira edição do Festival, em 2018, ocorreu em 48 cidades, com a participação de mais de 7.000 crianças. Em 2019, o evento atendeu mais de 10.000 crianças. A edição de 2020 foi cancelada devido à pandemia de Covid-19.

Compartilhe: