[metaslider id=5133]

 

 

O lançamento do edital para a concorrência internacional da concessão do Sistema de Travessias Litorâneas, que inclui a travessia entre São Sebastião e Ilhabela, provocou a insatisfação do prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci.

Para ele, as decisões tomadas, e que constam do edital ,podem trazer problemas para a cidade, que poderia não comportar um aumento no número de visitantes. Para ele, faltou diálogo.

Colucci, mais uma vez, defendeu que o serviço de travessia de balsa seja municipalizado.

“Não fomos ouvidos em nenhum momento do processo. Não adianta falar que vão aumentar embarcações e viagens se nem estão levando em conta o sistema viário de Ilhabela. Estamos preparando um Plano de Cargas e nosso objetivo é limitar o número de veículos na Ilha. A gente entende que Ilhabela, como arquipélago, não tem como receber todos que queiram vir para cá. Queremos montar um sistema que o turista garanta sua entrada com antecedência, limitando o número de pessoas e carros”, afirmou Colucci.

Segundo o Estado, a empresa que vencer a concessão terá que realizar 51 viagens nos dias úteis e 77 nos dias de fins de semana na travessia entre São Sebastião e Ilhabela após um ano da assinatura do contrato. Atualmente, são realizadas 42 viagens diárias. Nos meses de maior movimentação, a concessionária terá que realizar um número mínimo de 71 viagens nos dias úteis e 97 nos dias de fim de semana.

Por conta dessas alterações, a prefeitura deve promover com ação na justiça para impedir a licitação.

“Vamos entrar na Justiça para brigar contra isso e contra essa atitude do governador João Dória. Pedi uma atenção especial, mas parece que o Estado quer mesmo vender esse sistema. O governador tem que ouvir o Litoral Norte na questão da travessia, especialmente Ilhabela”, finaliza.

O processo licitatório prevê investimentos da ordem de R$ 272 milhões ao longo de 30 anos de contrato. Segundo o edital, o leilão está marcado para o dia 30 de março de 2022, na sede da B3, na capital.

Compartilhe: