Coluna Voz da mulher
Por Priscilla Hunck

A Lei Maria da Penha prevê a necessidade de intervenção de uma equipe multidisciplinar, composta por profissionais competentes para acompanhar a mulher, vítima de violência doméstica, e os demais familiares atingidos pela violência doméstica, durante todo o processo de denúncia, e posteriormente.

O objetivo primário da intervenção da equipe multidisciplinar é cessar a situação de violência vivenciada pela mulher atendida, sem ferir o seu direito à autodeterminação, mas promovendo meios para que ela fortaleça sua autoestima e tome decisões relativas à situação de violência por ela vivenciada.

Essa equipe deve ser composta por profissionais especializados na área de psicossocial, são eles:

• psicólogos, psiquiatras, assistentes social e conselheiros tutelar;

Na área jurídica, são eles:

• Advogados e defensores públicos;

Na área da saúde, são eles:

• Médicos, enfermeiros e atendentes;

Devido à alta demanda de vítimas de violência doméstica e familiar, em Ubatuba, eu Priscilla Hunck, decidi criar um mecanismo ativo de atendimento às essas vítimas, com base na Lei Maria da Penha, o Instituto Todas por Uma.

A finalidade do instituto é justamente oferecer um atendimento sensibilizado e humanizado para as vítimas em situação de Violência.

Os serviços oferecidos pelo Instituto TPU, são:

• Orientação jurídica, por meio de advogadas que compõem a equipe da diretoria executiva, e pelas advogadas voluntárias;

• Atendimento psicológico, também por meio de profissionais voluntários;

• Acompanhamento com assistentes sociais, por meio de profissionais voluntários;

• Quando a violência atinge um menor (vulnerável) encaminhamos para o Conselho Tutelar do Município;

• Quando a situação é de extrema necessidade, acolhemos as vítimas em uma casa de acolhimento temporário, caso elas não tenham algum familiar ou amigo para serem acolhidas por eles.

Ressalta-se que o foco principal da intervenção é o de prevenir futuros atos de agressão, e de promover a interrupção do ciclo de violência entre agressor e a vítima.

Além disso, o Instituto TPU, trabalha na elaboração de Projetos de Lei de conscientização, combate à violência contra a mulher e combate ao feminicídio, na cidade de Ubatuba. Todos os projetos, são propostos na Câmara dos Vereadores de Ubatuba, para que sejam votados.

É dessa forma que desempenhamos nosso trabalho, todos os dias, pelas vítimas de violência doméstica. Mas para que esse trabalho ganhe ainda mais força, precisamos do apoio do poder público, da população e da sociedade civil.

Desta forma, teremos um resultado ainda maior do nosso trabalho, trabalhando sempre em conjunto.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do LC28


Priscilla Hunck
Cientista política e presidente do Instituto Todas por Uma.

Compartilhe: