Coluna Voz da mulher
Por Priscilla Hunck

“Quando uma mulher entra na política, muda a mulher. Quando muitas mulheres entram na política, muda a política”.
Michelle Bachelet

Após 383 anos de Ubatuba, tivemos uma mudança histórica, uma mudança que abala as estruturas de uma sociedade de raízes patriarcais, já que nunca tínhamos tido uma mulher eleita prefeita.

Sabemos a importância da representatividade, de todas as figuras e narrativas, mas isso não se trata apenas de representatividade, se trata também de possibilidades.

Quando uma mulher, é eleita pela primeira vez na história de um município, isso oferece a possibilidade para que outras mulheres e meninas voltem a sonhar. Afinal, o que antes era um sonho tão distante, hoje vemos que é possível, e que é real a frase que diz “lugar de mulher é onde ela quiser”.

Mas em meio aos conflitos existentes atualmente no mundo quanto ao papel da mulher, se erguem como exemplos dignos, aquelas que buscam uma vida pública. É sabido que não é um objetivo fácil de se alcançar, e mais difícil ainda é manter-se nela, pois as pessoas toleram nos homens o que fortemente condenam nas mulheres, principalmente quando essa mulher é uma figura pública.

A própria constituição é enfática, e até repetitiva, ao proclamar igualdade entre o homem e a mulher. Porém é de se questionar o motivo pela qual, após 383 anos, apenas hoje uma mulher é eleita como prefeita, em Ubatuba.

Essa vitória, de ter pela primeira vez uma mulher eleita como prefeita em nosso Município, não é uma vitória individual, mas sim coletiva. Essa vitória é de todas nós, mulheres. Essa é a chave para que a mulher seja vista como um componente necessário na vida política e pública, em uma sociedade democrática.

E não basta ser mulher para mudar a condição da mulher na política, a mulher eleita precisa ver a política do ponto de vista feminino, talvez, só assim, teremos uma renovação, inovação e sua gestão será uma conquista, não uma concessão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do LC28

Priscilla Hunck
Cientista política e presidente do Instituto Todas por Uma.

Compartilhe: