[metaslider id=5012]

 

O Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC) e o Plano Preventivo da Defesa Civil para Ressacas (PPDC-R) teve início nesta quarta-feira (1º) e segue até o dia 31 de março de 2021.

O plano ocorre neste período devido às chuvas de verão,  e tem  por objetivo evitar ocorrências de mortes, com a remoção preventiva e temporária da população que ocupa as áreas de risco, antes que os escorregamentos atinjam suas moradias.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Caraguatatuba, capitão Campos Junior, o Plano Preventivo da Defesa Civil  é dividido em quatro estados: observação, atenção, alerta e alerta máximo  conforme o acumulado de chuvas nas áreas de riscos.

Nesta quarta-feira, ele esteve reunido com toda a equipe para reforçar as ações e alerta para os próximos meses. Atualmente, Caraguatatuba tem 19 áreas de risco em 54 setores.

Ações de mensagens de texto (SMS), enviadas pelo número 40199, que repassa informações de riscos meteorológicos em qualquer um dos 645 municípios paulistas continuam  valendo. Para isso, basta cadastrar o CEP da localidade de onde quer receber o serviço. Assim, é possível alertar a população sobre a possibilidade de ocorrência dos mais diversos eventos, como alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, vendavais, chuvas de granizo e raios.

Em Caraguatatuba, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) mantém instalado uma estação (raio de 20 Km de alcance) para acompanhamento das atividades atmosféricas   (pluviométricas e elétricas).

O Plano Preventivo da Defesa Civil para Ressacas foi criado em função do aumento do número, da frequência e da magnitude de eventos  meteorológico-ceanográficos extremos, como ressacas do mar e as marés altas anômalas,   assim como o período chuvoso previsto para os próximos meses, com possibilidade de eventuais riscos à população fixa e flutuante do município, e a necessidade de serem tomadas medidas preventivas pela administração municipal.

O PPDC-R é operado segundo critérios técnicos previstos pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil –  Casa Militar do Estado de São Paulo (CEPDEC), com base na legislação estadual, monitoramento de dados pluviométricos, previsão meteorológica, vistorias em encostas, bem como pela mitigação de riscos através da remoção das pessoas residentes ou instaladas nessas áreas e abrigo das famílias que se  encontrem ameaçadas, além de especial atenção às áreas onde ocorrem alagamentos e inundações, devido às ressacas e maré alta.

Todas as instituições afins, da prefeitura, junto com a Polícia Militar e voluntários, ficam em estado de prontidão neste período para atendimento de ocorrências.

Em caso de emergência o munícipe pode ligar para o telefone 199 da Defesa Civil.

 

Compartilhe: