Quem transita pela rodovia Oswaldo Cruz, na altura do posto da Polícia Rodoviária Estadual já deve ter observado uma estrutura em que fica um fiscal da Comtur para o controle da entrada de vans e ônibus na cidade.

Poder-se-ia chamar de um posto de parada, de um centro de informações turísticas, mas o máximo que se pode dizer daquele local que se trata de uma estrutura, e bem precária.

Qualquer olhar mais atento é capaz de perceber que se trata de um contêiner muito mal arrumado, feio na verdade, e sem a mínima condição de trabalho adequado para qualquer profissional.

Esse mesmo olhar atento, com certeza, pensaria que é falta de respeito com qualquer profissional sujeitá-lo a trabalhar nessas condições, ou na falta delas. Essa estrutura está lá ha anos, há mais de uma gestão, da mesma forma.

Mais do que isso, por se tratar de uma cidade turística, marcada por suas belezas naturais, Ubatuba é conhecida mundialmente. Por isso, espera-se que o local de atendimento aos turistas, ou ponto de cobrança dos turistas que chegam, deveria ter o mínimo de qualidade e bom gosto.

Se o primeiro atendimento se dá em um local daqueles, que mais parece um barraco no meio do mato, o que o turista que ali para pode imaginar ou esperar da cidade?

É fácil acreditar que muitos devem imaginar que ali deveria ser o nosso cartão de visitas, nosso posto de entrada, recebendo adequadamente quem nos visita, mesmo que o posto seja apenas de cobrança e regulação quanto ao turismo de um dia, ao turismo de ônibus e vans.

Comtur

Entramos em contato com o presidente da Companhia Municipal de Turismo, Edgar Clarindo da Silva, e o questionamos sobre as condições de trabalho naquele local.

Segundo o presidente, ao assumir a entidade, ele se comprometeu a reformar aquele espaço. Ele garante que tem trabalhado para viabilizar isso, mas que a pandemia tem atrapalhado os planos.

De acordo com Silva, já há um projeto pronto para a substituição daquela estrutura.

O orçamento já teria sido feito e, no momento, ele aguarda autorização do DER, Departamento de Estradas e Rodagem, para que ele dê andamento na troca para outro contêiner em condições adequadas e que permita o mínimo de conforto para quem estiver atuando ali na fiscalização dos veículos de passageiros que chegarem à cidade.

Ele ainda não sou precisar quando a substituição deverá ocorrer.

Compartilhe: