Assim como deve ocorrer em todo o país, os primeiros a serem vacinados contra o novo coronavírus, em Ubatuba, serão os grupos prioritários que ficam mais expostos e que compõem o grupo da fase 1 da campanha. São eles: os agentes de saúde, pessoas idosas residentes em instituições de longa permanência (institucionalizadas); pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência, residentes em residências inclusivas (institucionalizadas) e população indígena vivendo em terras indígenas.

A informação foi confirmada pela prefeitura que, na manhã de hoje, recebeu do Ministério da Saúde o Informe Técnico da Campanha Nacional de Vacinação contra o coronavírus.

Sobre o escalonamento desses grupos, a informação é de ele que vai ocorrer de acordo com a disponibilidade das vacinas que forem destinadas ao município.

Ainda de acordo com as orientações do Ministério da Saúde, a vacinação de trabalhadores da saúde vai ocorrer a partir de uma ordem de priorização, e vai começar pelas equipes de vacinação envolvidas na imunização dos grupos prioritários iniciais e trabalhadores de serviços de urgência e emergência públicos ou privados (como hospitais, unidades de pronto atendimento, SAMU), envolvidos diretamente na atenção/referência para os casos suspeitos e confirmados de covid-19.

Os trabalhadores da saúde correspondem, segundo o próprio Ministério, a pouco mais de um terço da população da fase 1.

Conforme as informações da prefeitura, Ubatuba tem pessoal suficiente para realizar a campanha e estoque municipal de agulhas e seringas para iniciar a vacinação. Além disso, possui em vigência uma ata de licitação aberta para adquirir mais seringas e agulhas, caso necessário, e dar continuidade à ação, assim que ela for iniciada.

Outro ponto importante destacado pelo setor de saúde da cidade é que o município possui equipamentos de proteção individual (EPIs) para as equipes, como máscara cirúrgica, proteção ocular ou facial e aventais. Além disso, o governo estadual também enviará mais desses insumos para o atendimento da demanda.

A vacina que está sendo distribuída aos municípios, por enquanto, é a desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Butantan, que será aplicada em duas doses, com intervalo de duas a quatro semanas entre cada uma.

Ilhabela

Apesar de não estar definida a data exata para a entrega das vacinas, a Secretaria de Saúde de Ilhabela garante que já está preparada para recebê-las.

Além da data, também não está definida a quantidade de doses que será destinada ao município. Apesar disso, a prefeitura garante que as doses serão disponibilizadas em todas as unidades básicas de saúde, para os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.

Mesmo com as indefinições de prazo e quantidade, Ilhabela já se organizou na aquisição de insumos, como seringas e agulhas em números suficientes para que a vacina seja administrada
de maneira segura aos pacientes.

Enquanto a vacina não chega a Ilhabela, a secretaria de saúde da cidade reforça as orientações sobre a manutenção dos cuidados, para evitar o contágio da doença. “Vamos aguardar a chegada da vacina, não esquecendo que os cuidados como: uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social, não devem ser deixados de lado” declara a Secretária de Saúde Lúcia Reale
Colucci.

Compartilhe: