Coluna Voz da mulher
Por Priscilla Hunck

O homem, no contexto da violência contra a mulher,é o principal “vilão”, na qual, através das suas ações, faz com a mulher seja colocada no papel de vítima e submissa, modelo esse que foi se proliferando em nossa cultura.

A violência contra a mulher representa uma abuso psicológico, físico, emocional, sexual, e econômico no meio da família, também acabando com a auto-estima das mulheres, e causando danos que na maioria das situações são irreparáveis.

Mas esse fenômeno social não atinge apenas as mulheres, mas toda a sociedade, pois uma mulher que carrega dentro de si traumas como esse, essa mulher é a mãe, filha, amiga e parte importante da sociedade.Isso é um problema universal!

Estamos longe de ser uma sociedade que respeita as mulheres, é como uma frase que diz “Uma sociedade é medida pela forma como nossas mulheres e meninas são tratadas”. E de que forma as mulheres vem sendo tratadas em nossa sociedade?

De acordo com as estatísticas que mostram como esse problema social vem se alastrando a cada dia, em todas as classes sociais.

A questão da violência contra a mulher esta sendo mais visada e refletida, e é possível compreender também o que é violência de gênero. Vemos que, nesse fenômeno social, não são apenas as diferenças biológicas entre os homens e as mulheres que determinam o emprego da violência contra a mulher, mas os papeis impostos pela sociedade a mulheres e homens, estabelecidos por uma sociedade de raízes patriarcais.

As mulheres, em situações de violência doméstica, evitam denunciar seus agressores por vários motivos, sendo eles: Medo, vergonha, dependência financeira, falta de apoio público, entre outros.

Uma grande questão que alimenta esse problema, é que a mulher, tem pouco espaço na agenda política, e vemos isso se refletindo com poucas políticas públicas de conscientização e combate à violência. Sem o apoio público, faz com que as mulheres em situação de Violência doméstica sigam inertes, temerosas e sem força para denunciar seus agressores, pois na maioria das vezes temem enfrentar a impunidade.

Combater a Violência contra a mulher é uma grande necessidade, mas para que as ações de combate a esse fenômeno social, sejam realmente eficazes, é necessário se atentar a essa causa. Como dito antes, o homem é o principal “vilão” nesse contexto, porém ele é constantemente estimulado e moldado pela sociedade, através de um processo cultural. Então para que essa realidade mude, é necessário que toda a sociedade mude também.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do LC28

Priscilla Hunck
Cientista política e presidente do Instituto Todas por Uma.

Compartilhe: